O STAND 1.1

S <3 I

INÊS BRITES & 
SARA MEALHA

14.02.2020—15.02.2020

S <3 I


In the muy frías noches of the vale do tejo
desert já não existiam possibilities of
finding un hueco seguro. People went up
north and left us with nada más que sus
vasuritas, sus tesoros, sus mercancías.

Numa feira encontras uma imitação de
um cap of any expensive brand a mitad
del precio original. Es igualito, está incluso
en un color que no hay para venta en la
tienda and you really like it. Lo compras?

Trademarks on my stomach me recuerdan
los dias en que comíamos churros com
chocolate enquanto víamos o pôr do Sol abraçadas.

Since they have cut the energy
distribution we are going led until the fim
do rolo que temos. A minha luz é de led.
There is no way of taking anything away
from here. Fazer isto desaparecer é como
sonhar que se tem de esconder um corpo
cuja morte foi decidida por outrem - é impossível.
Loving our things until the end will probably be
the most revolucionary cosa a hacer.

filipa




fotografias © Frederico Gomes
Agradecimentos especiais:
Duarte Águas



SARA MEALHA
Nasceu em Lisboa em 1995.
Em 2017 concluiu a licenciatura em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Em 2016-17 realizou o programa de intercâmbio Almeida Garrett com a Universidade de Belas-Artes do Porto onde frequentou o curso de Artes Plásticas durante um semestre.No seu trabalho utiliza diferentes meios e aproximações, procurando não se focar demasiado num só médium, mas sim reflectir sobre qual, ou quais serão os mais indicados para cada situação específica. Interessa-lhe acima de tudo a criação de imagens, independentemente dos meios.Desde 2016 que expõe com regularidade em exposições colectivas destacando-se “Cola Cuspo” (2018), “Panorama 2018” (2018), “Escritório” (2018), “A Dispensa” (2017), “Temps d'Images” Lisboa (2016), “PROGRAMA/Bregas” (2016), “Prémio Paula Rego”(2016).Conta com três exposições individuais, “Tango” (2019) n’O Armário, “Às nove a caminho” (2019) na galeria Balcony e “Primeiro Socorro” (2018) na Travessa da Ermida.

INÊS BRITES
Nasceu em Coimbra em 1992, vive e trabalha em Lisboa.
Acabou a Licenciatura em Pintura na Faculdade de Belas-Artes de Lisboa e estudou no KASK: Conservatorium & School of Arts em Ghent, Bélgica. Desde 2015, participa em vários projectos e exposições colectivas, destacando Reality Check no Las Palmas Project (2019), Tu Não Viste Nada no Duplex AIR (2019), Pausa no Esqina Cosmopolitan Lodge (2019), I Will Take The Risk no Azan / Tomaz Hipolito Studio (2019), The Dog is Very Confused na Galeria FOCO (2018). Entende o seu trabalho como uma casa de segunda-mão, onde todas as coisas obsoletas e todo o tipo de colecções vão parar. Por outras palavras, é essencialmente sobre a atenção à banalidade das coisas mundanas e as suas sensações, procurando uma abordagem estética e sensorial, dando uma outra vida a objectos sem valor.